Boletim trata de acidentes de trabalho por intoxicação por agrotóxicos

Publicada em 09/04/2012

O Sistema de Informações sobre Mortalidade, entre 2000 e 2008, registrou 1.669 óbitos por intoxicação por agrotóxicos, excluindo-se os homicídios e suicídios. Desses, 689 ocorreram entre os trabalhadores da agropecuária. Os dados estão na edição de março do Boletim do Centro Colaborador em Vigilância dos Acidentes de Trabalho da Universidade Federal da Bahia.

Os trabalhadores da agropecuária desenvolvem atividades reconhecidas como de elevado risco de acidente de trabalho, destacando-se como causa imediata os envenenamentos por agrotóxicos. Esses trabalhadores realizam atividades de aragem, semeadura, irrigação, cuidado com a plantação durante o crescimento, colheita, armazenagem, embalagem, fertilização do solo, controle de pragas, cuidado de animais, atenção à saúde de animais com o uso de substâncias veterinárias, dentre outras, que podem envolver o emprego de substâncias tóxicas. Acidentes de trabalho devidos a intoxicações por agrotóxicos (AT-AGR) correspondem a envenenamento intencional ou não intencional, decorrente da ingestão, inalação ou absorção dérmica de substâncias químicas, que tenha ocorrido durante a realização de atividade de trabalho ou em deslocamentos relacionados ao trabalho.

Leia mais no Boletim

Fonte(s): Renast online
http://www.ensp.fiocruz.br/portal-ensp/informe/site/materia/detalhe/29964


'Boletim trata de acidentes de trabalho por intoxicação por agrotóxicos' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida