Casal quilombola sofre tortura e tentativa de homicídio no Vale do Jequitinhonha | Brasil de Fato

O quilombo Marobá dos Teixeiras foi fundado em 1868, e é ocupado por 27 famílias. A comunidade já é reconhecida pela Fundação Palmares e tem duas liminares de reintegração de posse, que exige a devolução dos territórios que estão sob posse de sete fazendeiros da região. A comunidade está no controle de apenas 1.350 hectares do quilombo. Mais da metade do território ainda continua sob o poder de fazendeiros. Em março de 2016, os quilombolas retomaram cerca de 350 hectares, inclusive a sede de uma das fazendas que invadiam parte do terreno da comunidade. As vítimas do atentado suspeitam que este episódio tenha sido o estopim para os fazendeiros.


Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida