Dossiê dos Agrotóxicos é lançado em Fortaleza durante Jornada de Saúde e Ambiente

Ação fortalece luta local pelo fim das isenções fiscais para agrotóxicos. Governador Camilo Santana, que é Engenheiro Agrônomo, recebeu um exemplar e se comprometeu a avançar nessa pauta.

por Natália Almeida

Prosseguindo com os lançamentos estaduais, ontem, dia 11 de maio, o Dossiê Abrasco foi lançamento em Fortaleza (CE). O lançamento do livro aconteceu ao final do primeiro dia da Jornada Nacional de Saúde e Ambiente, realizada pela Abrasco e pela Fiocruz, com o objetivo de estabelecer um debate com diversos atores da sociedade sobre os caminhos do campo de saúde e ambiente no país.

Raquel Rigotto, professora da Universidade Federal do Ceará e integrante do Grupo de Trabalho Saúde e Ambiente da Abrasco, conta que o processo de construção do livro, além de reunir importantes subsídios na luta contra os agrotóxicos, possibilitou o estabelecimento de conexões entre todos os mais de 40 autores da publicação.

Uma das propostas de realizar os lançamentos nos estados e municípios é fortalecer e incidir sobre os conflitos enfrentados nos territórios. Nesse contexto, Raquel anuncia o resultado de uma importante reunião realizada com o Governador do estado do Ceará, em que muitas reivindicações da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos foram apresentadas. Segundo ela “na reunião entregamos um exemplar do Dossiê o governador que se colocou favorável ao término da isenção fiscal às empresas fabricantes de veneno. As conversas prosseguem, mas o estado do Ceará sinaliza a possibilidade de ser o primeiro estado a romper com essa lógica”.

O presidente da Fiocruz, Paulo Gadelha, presente no lançamento, diz – ao receber um dos exemplares – que o livro é um compromisso dos pesquisadores com a ação transformadora e espera que ela possa inspirar outros trabalhos. E, nesse sentido, ao longo do lançamento diversos casos de resistência e intoxicação no estado do Ceará foram lembrados. Entre as principais denúncias, os impactos dos agrotóxicos na Chapada do Apodi, onde o militante do MST, Zé Maria foi assassinado em 2010. Zé Maria teve sua trajetória marcada pela resistência e denunciava das consequências da pulverização aérea, da contaminação das águas, além das irregularidades existentes nos perímetros irrigados do Baixo Jaguaribe.

 

Para André Búrigo, da Escola Politécnica de Saúde Joaquim Venâncio (Fiocruz), explica que livro é organizado em quatro sessões principais e que a publicação reúne dados, denúncias e experiências da agricultura livre de agrotóxicos e transgênicos, termina sua apresentação reforçando que a publicação completa está disponível para download no site da Abrasco.

Além do lançamento do livro do Dossiê, a Cartilha do Pronara também foi apresentada por Marciano Silva, integrante da Campanha, que aponta o Programa Nacional de Redução de Agrotóxicos como uma estratégia totalmente possível de ser executada  pelo governo brasileiro e que, em seus oito eixos estruturantes, traz ações concretas para avançarmos na redução dessa problemática no país. Outra publicação lançada durante a atividade foi o livro “Diferentes Formas de Dizer Não: experiências internacionais de resistência, restrição e proibição ao extrativismo mineral”, editado pela FASE, dialogando com os esforços de produzir materiais de referência que tragam denúncias e reflexões sobre conflitos territoriais.

A Jornada de Saúde e Ambiente segue até o dia 15 de maio com o objetivo de examinar e debater o potencial de contribuição da Fiocruz ao desenvolvimento regional sustentável, tendo como referência as perspectivas da futura unidade da Fiocruz no Ceará.



'Dossiê dos Agrotóxicos é lançado em Fortaleza durante Jornada de Saúde e Ambiente' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida