Em defesa das abelhas

A Comissão Europeia proibiu ontem, por dois anos, o uso de três dos pesticidas mais usados no mundo, todos à base de neonicotinoides. A decisão foi motivada pelo temor de que a substância, no mercado desde os anos 90, ponha em risco a sobrevivência das abelhas do continente. Não se trata apenas de defender a espécie, mas também a agroindústria. O inseto é polinizador de muitas culturas cultivadas comercialmente na Europa, sobretudo de frutas. No Brasil, a substância pode ser usada, mas com restrições. A Comissão de Meio Ambiente do Parlamento britânico assegura que pelo menos 60% das espécies do inseto tiveram sua população reduzida.

O Globo, 30/4, Ciência, p.27.

 


'Em defesa das abelhas' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida