Filmes sobre transgênicos e agrotóxicos são premiados no FICA2015

17ª edição do Festival internacional de Cinema e Vídeo Ambiental premiou o francês Transgenic Wars, como melhor filme, e o brasileiro o Veneno Está na Mesa 2, como melhor longa. Confira a reportagem.

Troféu na mão: filmes premiados do Fica 2015

Reportagem: Clenon Ferreira e Leandro Arantes

A entrega dos troféus aos filmes premiados na 17ª edição do Festival internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, Fica 2015, ocorreu neste domingo, último dia do Festival, às 17h no Cinemão do Colégio Sant’Ana. A Secretária de Educação, Cultura e Esporte (Seduce), Raquel Teixeira, foi quem entregou o troféu ao média-metragem francês Transgenic Wars, do diretor Paul Moreira, eleito o melhor filme pelo júri da Mostra Competitiva do Fica 2015.

O filme aborda domínio da agricultura mundial pelos alimentos transgênicos. A produção foi da Dinamarca à Argentina e apontou efeitos da alimentação de animais de abate com transgênicos para trazer à tona a discussão sobre o crescimento desenfreado desta prática e suas consequências.

O documentário O Veneno está na mesa 2, de Silvio Tendler, recebeu o Troféu Carmo Bernardes, como o melhor longa da competição, pela perspicaz associação entre o meio ambiente, saúde e economia, propondo alternativas ao modelo hegemônico na agropecuária brasileira.

Já o curta-metragem Galus Galus, da diretora venezuelana Clarissa Duque, foi eleito o melhor curta da Mostra Competitiva. Ele retrata a vida de quem perambula em meio ao lixo à procura de garrafas plásticas para sobreviver. “Estar em um evento tão grandioso como este e poder ter o contato com profissionais de todo o mundo é gratificante. Discutir cinema e meio ambiente é de total importância para repensar a linguagem audiovisual. O festival cumpre o seu papel”, afirma a diretora.

Entre os goianos, Lobo Solitário, do diretor Ranulfo Borges, ganhou o troféu João Bennio (melhor filme goiano) e Maria Macaca, o documentário de Lázaro Ribeiro produzido na Cidade de Goiás, ganhou dois troféus. A produção teve bastante destaque na mostra ao retratar a vida difícil de uma carregadeira de água, que equilibra uma lata na cabeça enquanto caminha pelas ruas de pedras de Goiás.

Maria Macaca ganhou o Troféu Luiz Gonzaga Soares, eleito o melhor filme pelo Júri Popular, e o Troféu Bernardo Elis, como segundo melhor filme goiano do Festival.  “É muito gratificante poder participar deste importante encontro que é o Fica. Tudo que aprendi sobre cinema foi durante as 17 edições do festival. É fundamental que mais obras regionais possam dialogar com as produções internacionais”, comemorou Lázaro Ribeiro.

Os filmes premiados nesta edição do Festival receberam além de prêmios em dinheiro, o Troféu Fica. Concebido pela artista plástica Kátia Jacarandá, o troféu simboliza uma forma humana fundida em alumínio reciclado.

O júri da Mostra foi composto pelo cineasta e documentarista João Jardim (presidente); pelo pianista, cantor e compositor Daniel Jobim; pelo jornalista Jaime Sautchuk; pelo doutor em Ciências Biológicas José Alexandre Felizola Diniz Filho; e pelo sociólogo Nilo Sérgio Diniz. Ao escolher os ganhadores, o júri destacou o excelente nível das obras apresentadas, parabenizou os realizadores dos 21 filmes selecionados para a Mostra Competitiva,  entre os 327 inscritos e, também, toda a equipe de organização e o Governo de Goiás pelo sucesso de mais uma edição do Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental.

 

Premiados da Mostra ABD

Ficção, documentário, experimental e animação. Marcada pelas comemorações do 30º aniversário da Associação Brasileira de Documentaristas, os filmes premiados na 13ª ABD Cine Goiás também foram anunciados neste domingo, 16, no Cinemão. O curta-metragem Enquanto a Família Dorme, de Getúlio Ribeiro, levou os prêmios de Melhor Montagem e Edição, Melhor Ator e o Prêmio Fifi Cunha de Melhor Ficção.

Os prêmios Eduardo Benfica de Melhor Documentário e Prêmio Martins Muniz de Melhor Filme Experimental foram destinados às produções 1989, de Rei Souza, e Mero, de Ksnirdak. A produção Viagem na Chuva, de Wesley Rodrigues, levou o troféu Fifi Cunha de Melhor Animação. Já o cineasta Benedito Ferreira conquistou o prêmio de Melhor Direção pelo filme O Dia Secreto.

Segundo o cineasta Getúlio Ribeiro, é fundamental que existam janelas de exibição para produções feitas em Goiás. Trata-se da primeira vez que o curta Enquanto a Família Morre é exibido. “O filme brinca com o fantástico ao contar a história de um homem que começa a se envolver com sons que ele ouve durante a noite. A partir disso a produção se desdobra”, explica.

Para este ano a 13ª edição da Mostra ABD Cine Goiás bateu recordes de inscrições. De acordo com a comissão, foram inscritos 123 filmes entre os dias 12 e 26 de maio, sendo 37 obras de ficção, 34 documentários, 36 filmes experimentais e 16 animações. Desse total de inscritos, 112 filmes foram habilitados para seleção e 11 filmes foram desclassificados por não cumprirem as exigências formais do regulamento.

 

Encerramento com música de cinema

 

A Orquestra Filarmônica de Goiás foi a responsável pela apresentação de encerramento do 17º Festival Internacional de Cinema e Vídeo Ambiental, Fica 2015, na Cidade de Goiás. A Filarmônica apresentou um repertório exclusivo, com sucessos que marcaram o cinema mundial.

Sob a batuta do maestro americano John Farrer, a Filarmônica apresentou o melhor da obra de John Williams, um dos maiores e mais importantes compositores da história do cinema. Foram apresentadas trilhas sonoras de produções cinematográficas que marcaram época, como Star Wars, A Lista de Schindler, Indiana Jones e Harry Potter.

 


Tagged: ,


'Filmes sobre transgênicos e agrotóxicos são premiados no FICA2015' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida