Agronegócio

O termo agronegócio, de uso relativamente recente em nosso país, guarda correspondência com a noção de agribusiness, cunhada pelos professores norte-americanos John Davis e Ray Goldberg nos anos 1950, no âmbito da área de administração e marketing (Davis e Goldberg, 1957).

O termo foi criado para expressar as relações econômicas (mercantis, financeiras e tecnológicas) entre o setor agropecuário e aqueles situados na esfera industrial (tanto de produtos destinados à agricultura quanto de processamento daqueles com origem no setor), comercial e de serviços. Refere-se ao conjunto de atividades que envolvem a produção e a distribuição de produtos agropecuários empresariais.

É caracterizado pelo uso intensivo de agrotóxicos, fertilizantes químicos, sementes modificadas geneticamente (transgênicos) e máquinas pesadas; produção em grandes áreas (latifúndios); produção de uma única espécie por área produtiva (monculturas); poucos empregos gerados por área produtiva; alta degradação ambiental; concentração da renda gerada na mão de poucas pessoas; estreita relação com empresas transnacionais que controlam o mercado de insumos; e elevado financiamento do Estado.

(Adaptado de Dicionário da Educação do Campo)


Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida