Temporada de chuvas no Estado não afasta ameaça dos agrotóxicos para as abelhas

“Onde tem agrotóxicos, elas morrem”, decreta Selene Hammer Tesch, agricultora orgânica em Santa Maria de Jetibá, que observa a letalidade do contatos das pequenas e poderosas polinizadoras com as lavouras convencionais, baseadas no uso de venenos químicos para “controlar as pragas”. “Tem morrido muita colmeia por aqui”, lamenta.


Tagged:


Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida