Somos a Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida!

Quem Somos

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida é uma rede de organizações da sociedade que tem como objetivo denunciar os efeitos dos agrotóxicos e do agronegócio, e anunciar a agroecologia como caminho para um desenvolvimento justo e saudável da sociedade.

Fazem parte desta rede movimentos sociais do campo e da cidade, organizações sindicais e estudantis, entidades científicas de ensino e pesquisa, conselhos profissionais, ONGs, grupos de consumo responsável, entre muitas outras.

O lançamento oficial da Campanha ocorreu no dia 7 de abril de 2011, data escolhida por ser o Dia Mundial da Saúde. Desta forma, a relação entre agrotóxicos e os impactos negativos à saúde está marcada desde a origem da articulação. 

Nascemos em um contexto de avanço do capitalismo no campo, simbolizado pelo agronegócio e todos os problemas estruturantes decorrentes a ele. Corporações transnacionais controlam a produção de mercadorias agrícolas (commodities), o comércio, o preços dos produtos, bem como a maioria das fábricas de agrotóxicos, fertilizantes sintéticos, sementes, mudas e matrizes animais, máquinas e equipamentos. Essa cadeia destrutiva se sustenta a partir da apropriação dos recursos naturais e da biodiversidade brasileira, deixam um rastro de morte e doenças. 

Os agrotóxicos expressam uma das principais contradições do agronegócio: não é possível produzir monocultivos sem eles, no entanto, seus efeitos à saúde e ao meio ambiente são cada dia mais difíceis de serem encobertos. A produção sem agrotóxicos, por sua vez, já é realidade e depende apenas de políticas públicas para avançar.

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida tem a perspectiva de consolidar uma rede em torno da luta unitária contra os impactos severos que os agrotóxicos causam na saúde humana e no meio ambiente. Ao mesmo tempo em que buscamos explicitar as contradições e malefícios gerados pelo agronegócio, também apresentamos a agroecologia como modelo de agricultura viável e capaz de cultivar alimentos e vida saudável.

Conheça os princípios que orientam a atuação da Campanha:

Princípios

  1. Agrotóxicos de uso agrícola, veterinário, em campanhas de saúde pública e em ambientes domésticos são um grave problema de saúde pública e representam uma violação do direito humano à alimentação adequada e saudável e a um ambiente equilibrado;
  2. Transgênicos e outras biotecnologias similares são tecnologias indissociáveis dos agrotóxicos e compõem o mesmo pacote que ameaça a nossa saúde, soberania e biodiversidade.
  3. A luta contra os agrotóxicos é uma luta contra o agronegócio. 
  4. Lutamos contra o agronegócio em todas as suas dimensões:
    • a bancada ruralista, que é a face do agronegócio dentro do Estado, responsável historicamente por induzir o uso agrotóxicos no país; 
    • o latifúndio, e sua produção de monocultivos de commodities para exportação;
    • as empresas multinacionais de agrotóxicos e transgênicos, bem como as empresas que controlam a produção, logística, processamento e varejo de alimentos; 
    • os grandes veículos de comunicação que se esforçam em limpar a imagem do agronegócio;
    • o capital financeiro e a especulação no mercado de terras e alimentos, que determinam quem pode comer e quem passa fome;
    • todas as outras ações do capital que impactam a vida no campo, nas florestas e nas águas como o hidronegócio, a mineração e os grandes empreendimentos de infraestrutura.
  1. Consideramos que a única forma efetiva de combate à fome e de produção de alimentos saudáveis para a população é a agroecologia.
  2. O desenvolvimento da agroecologia no Brasil depende de políticas públicas com financiamento adequado, desde a realização da reforma agrária e garantia dos territórios, passando pela pesquisa, pela assistência técnica na produção até as políticas de comercialização de alimentos saudáveis.
  3. A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida é uma articulação entre organizações que compartilham estes princípios em busca de uma sociedade com justiça social e soberania popular. Somos movimentos sociais e redes das cidades, do campo, das florestas e das águas, ONGs, associações, cooperativas e grupos informais, sindicatos de trabalhadores/as do campo e da cidade, grupos de agroecologia, instituições públicas de ensino e pesquisa e mandatos parlamentares, e trabalhamos em nossos territórios a partir dos princípios da Campanha e de nossa realidade local.

Organizações integrantes

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida é conduzida politicamente pelas seguintes organizações, que integram o Grupo Operativo Nacional:

Articulação Nacional de Agroecologia (ANA)
Associação Brasileira de Agroecologia (ABA)
Associação Brasileira de Saúde Coletiva (Abrasco)
Central Única dos Trabalhadores (CUT)
Confederação Nacional dos Trabalhadores Assalariados e Assalariadas Rurais (CONTAR)
Coordenação Nacional de Articulação de Quilombos (Conaq)
Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional (Fase)
Fundação Oswaldo Cruz (Fiocruz)
Movimento de Mulheres Camponesas (MMC)
Movimento dos Pequenos Agricultores (MPA)
Movimento dos Pescadores e Pescadoras Artesanais (MPP)
Movimento pela Soberania Popular na Mineração (MAM)
Movimentos dos Trabalhadores Rurais Sem Terra (MST)
Pastoral da Juventude Rural (PJR)
Terra de Direitos
Via Campesina Brasil

Além destas, parte da Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida as organizações seguir:

Articulação Metropolitana de Agricultura Urbana (BH/MG)
ASSOCIAÇÃO DE MELIPONICULTORES DO ESTADO DE SP
Associação de Promoção do Desenvolvimento Solidário e Sustentável
Associação dos Fiscais da Defesa Agropecuária do Estado do Paraná
Associação dos Geógrafos Brasileiros – Seção Local de São Paulo – AGB SP
Associação dos Moradores e Amigos de Itinga (MG)
Associação Ecobé
ASSOCIAÇÃO ESTADUAL DE MULHERES CAMPONESAS DE SANTA CATARINA – AEMC/SC
Associação Gaúcha de Proteção ao Ambiente Natural (Agapan)
Associação Sustentabilidade Popular – ASP
Associação Sustentabilidade Popular de Marília – ASP
Biblioteca Comunitária de Paiaiá
Centro de Tecnologias Alternativas da Zona da Mata (CTAZM – MG)
Centro Ecológico (RS)
Coletivo Agroecologia na Periferia (MG e RJ)
Comissão de Direito Ambiental da OAB/CE
Comunidades Eclesiais de Base
Conselho de Leigas e Leigos do Brasil da Arquidiocese de Maringá
Conselho de Segurança Alimentar e Nutricional / MG
CONSELHO ESTADUAL DE SEGURANÇA ALIMENTAR E NUTRICIONAL DO ESTADO DO AMAZONAS
Conselho Federal de Nutricionistas
Conselho Indigenista Missionário
Escola Popular de Agroecologia e agrofloresta Egídio Brunetto (BA)
Federação de Órgãos para Assistência Social e Educacional – FASE
Fórum Espírito-Santense de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos e Transgênicos
Fórum Gaúcho de Combate aos Impactos dos Agrotóxicos
Frente Parlamentar de Segurança Alimentar e Nutricional – FPSAN
Fundação Luterana de Diaconia – Conselho de Missão entre Povos Indígenas – Centro de Apoio e Promoção da Agroecolodia
Fundació Pere Casaldàliga
Fundo Dema
Greenpeace Brasil
Grupo AUÊ! – Estudos em Agricultura Urbana (UFMG)
Grupo de Estudos da Questão dos Alimentos
GRUPO ECOLÓGICO SENTINELA DOS PAMPAS
Grupo Temático Saúde e Ambiente da Abrasco
Instituto Giramundo Mutuando
Instituto Romã de Vivências com a Natureza
Instituto Terraviva
Laboratorio de Estudos Rurais – UFRN
Mandata Ativista
Mandato Coletivo e Participativo Deputado Federal Padre João PT/MG
Mandato Deputada Federal Áurea Carolina – PSOL/MG
Mandato Deputada Federal Luiziane Lins – PT/CE
Mandato Deputada Federal Professora Rosa Neide – PT/MT
Mandato Deputada Federal Vivi Reis – PSOL/PA
Mandato Deputado Estadual Renato Roseno – PSOL/CE
Mandato Deputado Federal Ivan Valente – PSOL/SP
Mandato Deputado Federal João Daniel – PT/SE
Mandato Deputado Federal Nilto Ignacio Tatto – PT/SP
Mandato Deputado Federal Patrus Ananias – PT/MG
Mandato Deputado Federal Paulo Teixeira PT/SP
Mandato Deputado Federal Pedro Uczai – PT/SC
Mandato Deputado Fedral Alessando Molon – PSB/RJ
Mandato Deputado Goura
Mandato Vereador Professor Toninho Vespoli
Marcha Mundial por Justiça Climática/ Marcha Mundial do Clima
Memorial das Ligas e Lutas Camponesas
Movimento 21 (CE)
Movimento Camponês Popular (MCP)
Movimento Ciência Cidadã
Movimento da Mulher Trabalhadora Rural do Nordeste
Movimento dos Trabalhadores e Trabalhadoras do Campo MT
Movimento quilombola do Maranhão
Movimento Urbano de Agroecologia (MUDA-SP)
Muda de Ideia
Museu do Cerrado
NEA CHAIA – UFF/Rio das Ostras
Núcleo Agrário do Partido dos Trabalhadores na Câmara do Deputados
Núcleo de Ecojornalistas do Rio Grande do Sul
Núcleo de Estudos, Pesquisas e Extensão em Agroecologia
Núcleo de Estudos, Pesquisas e Práticas Agroecológicas do Semiárido
Observatório de Estudos em Alimentação Saudável e Sustentável
Observatorio Educador Ambiental Moema Viezzer de Foz do Iguaçu
ONG Pró-Lagos
Organização Ambiental Terra Verde
Partido dos Trabalhadores – PT
Partido Socialismo e Liberdade – PSOL
Polo Agroecológico do Sul e Sudoeste de Minas Gerais
Pedaço do Mundo Hub
Red de Acción en Plaguicidas y sus Alternativas en México
Rede de Agroecologia do Maranhão (RAMA)

Quer entrar nessa lista? Entre em contato!