Banho de veneno sobre terra indígena Marãiwatsédé | Combate Racismo Ambiental

O cheiro insuportável do veneno incomodou os moradores da aldeia Madzabdzé e, segundo os Xavante, provocou um surto de doenças respiratórias especialmente entre as crianças. A legislação brasileira de “faz de conta” supõe proteção a aglomerações urbanas, rurais e mananciais a apenas 250 metros das áreas de pulverização aérea – o que, ainda assim, foi violado pelo piloto flagrado nas imagens.

#PulverizaçãoAéreaÉCrime!



Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida