Pulverização aérea de agrotóxicos contamina produção camponesa em São Lourenço da Mata

Fonte: CPTNE2

A camponesa Maria Francisca, conhecida internacionalmente por ser a protagonista do documentário “A Cerca da Cana” vive em 2 hectares de terra farta cercada pelos incalculáveis hectares de cana-de-açúcar pertencentes à Usina Petribú. Localizado no município de São Lourenço da Mata/PE, o Engenho Tiuma, onde a camponesa vive e trabalha, é farto de macaxeira, milho, quiabo, alface, laranja, coco, banana, jaca, jambo, noni, cajá, caju, pitanga, pitomba, carambola, limão. Todos produzidos de modo agroecológico. No entanto, na manhã de ontem, 28/07/2016, Maria Francisca foi surpreendida com um avião da usina Petribú que fazia pulverização de veneno pela área e passou várias vezes por cima de suas lavouras e fruteiras.

 De acordo com a camponesa, a pulverização começou por volta das 7h e se estendeu até as 10h. No momento em que, por telefone, fazia a denúncia à CPT, era possível escutar o som do avião a um volume bastante alto. Segundo a agricultora, o veneno é utilizado para acelerar a maturação da cana-de-açúcar, uma vez que o período de moagem se aproxima (agosto).

Maria Francisca recorda que a última vez em que houve pulverização de veneno na área, sua plantação foi atingida e a camponesa experimentou prejuízos que são sentidos até hoje. Á época perdeu mais de 20 cachos de banana, os cocos secaram, as jacas murcharam e caíram. Desde então seus “coqueiros e jaqueiras nunca foram os mesmos”, conforme comenta a trabalhadora. Ela acrescenta ainda que outros tipos de veneno já foram pulverizados em cima de sua lavoura, a exemplo do Rround Up, da Monsanto, que resultou na morte de toda a sua plantação de macaxeira. A camponesa e a assessoria jurídica da CPT irão buscar os órgãos responsáveis para que sejam tomadas as medidas cabíveis.



'Pulverização aérea de agrotóxicos contamina produção camponesa em São Lourenço da Mata' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida