Carta em solidariedade à professora Dr. Larissa Bombardi

“Até que ‘uma doença estranha se espalhou pela área e tudo começou a mudar. Como se um feitiço fosse atirado sobre aquela comunidade: estranhas enfermidades dizimaram os bandos de galinhas; o gado e as ovelhas adoeceram e morreram.’ Até os pássaros sumiram. Tudo o que havia era um estranho silêncio. Parece um conto, mas não é.”

Rachel Carson, Primavera Silenciosa.

Professora Dra. Larissa Mies Bombardi,

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida se solidariza e presta todo o apoio em relação às denúncias de ameaças e cerceamentos que tem sofrido em razão de suas pesquisas e contribuições.

Afirmamos e reiteramos a importância e comprometimento de suas investigações, publicações e debates travados na exposição da realidade agrária brasileira, em especial sobre os severos riscos e danos causados por agrotóxicos no país.

A exímia qualidade técnica de suas pesquisas impossibilita qualquer ataque ao seu conteúdo. Assim, só restam aos “contestadores” a prática de assédios infundados, violentos e mesquinhos direcionados à sua pessoa. Infelizmente esta é realidade sofrida por tantas pesquisadoras e pesquisadores social e ambientalmente comprometidos no Brasil.

E mesmo com tantas violências, não houve recuo. Ao contrário, a sustentação do trabalho no ensino, pesquisa e extensão pela professora se fortalecem e se tornam ainda mais necessárias.

As organizações e movimentos sociais que integram a Campanha manifestam extrema preocupação com as perseguições relatadas e se colocam à disposição para reverberar e apoiar todas as ações de proteção à Professora Dra. Larissa Bombardi e às suas contribuições fundamentais para a ciência brasileira.

18 de Março de 2021.



'Carta em solidariedade à professora Dr. Larissa Bombardi' não possui comentários

Seja o primeiro a comentar este artigo!

Quer compartilhar suas ideias?

Seu endereço de email não será publicado.

Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida