Governo Bolsonaro libera mais 42 agrotóxicos hoje

O Diário Oficial da União trouxe na edição de hoje a liberação de mais 42 novos agrotóxicos. Com isso, as liberações em 2019 já chegam a 239.

Entre as liberações de hoje, apenas 2 são produtos biológicos. 12 liberações são de produtos formulados, ou seja, novos produtos que vão ser vendidos nas lojas, e os outros 30 são produtos técnicos, utilizados na fabricação de produtos formulados. Quanto à periculosidade ambiental, 23 são Altamente ou Muito Perigosos ao Meio Ambiente, e 18 são Extremamente ou Altamente Tóxicos para a saúde humana.

A Campanha Permanente Contra os Agrotóxicos e Pela Vida produziu uma planilha com a sistematização das liberações deste ano. Baixar aqui a planilha

11 comentários

  1. Parabens por esse Movimento! Não achei um canal de contato com os Organizadores, mas queria deixar uma sugestão prática pra conscientizar melhor a Sociedade.
    Sugiro a criação de um modelo de mensagem que os cidadãos/consumidores possam copiar e enviar ao restaurante ou comércio onde consome alimentos, pedindo esclarecimentos ao dono/gerente, sobre o conteúdo dos produtos., em relação aos agrotóxicos e cadeia de fornecedores.
    Já que não temos Instituições que defendam os cidadãos, nem Justiça, nem imprensa, etc, temos que usar o poder de compra do cidadão. Acho que será bem mais efetivo.

  2. Gostaria de sugerir a colocação de toda a tramitacao pela qual deve passar um agrotóxico para ser liberado. Existe toda uma série de ações e estudos feitos por setores do governo e da sociedade civil para que aconteça está liberação. Inclusive consulta pública, conforme o produto. Mostrem como isto acontece!

    • Solicito às pessoas que são contra os agrotóxicos (o correto é dizer defensivo agrícola) que apontem os novos procedimentos agrícolas para a produção de alimentos em escala comercial, pois isso é o que mantém o brasileiro sem fome é o país com dinheiro.

      • José Carlos Christofoletti, primeiramente se a substância é tóxica e é usada em atividades agrícolas, não tem nada de errado em chamar de agrotóxico. Segundo, deves bem saber que a maior parte dos venenos de uso agrícola comercializados e aplicados no Brasil, são em culturas que não fornecem comida para a população. Além disso, como agrônomo o Sr. deve saber que existe “manejo integrado” e a possibilidade da utilização de métodos de controle biológico.
        Mas é claro que estas técnicas de produção não enriqueceriam as empresas que produzem e os seus respectivos vendedores de veneno. E que mal que tem, o Brasil continuar produzindo commodities para exportação e ficando com os impactos disso, como contaminação do ambiente e desmatamento, ainda mais, usando produtos já proibidos por vários países, né??

  3. Não consegui acessar os dados da campanha.
    Gostaria de saber como estão se organizando para que a população possa se manifestar contra esses absurdos!!! Muito grata

  4. A Noruega não vai comprar mais nada do Brasil por conta do 24D e a China ainda vai pensar se vai continuar o comércio. O 24D era proibido no mundo tudo a 30 anos atrás, agora só no Brasil que foi legalizado.

Deixar uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.